quinta-feira, 11 de setembro de 2014

DIMENSÕES


Maior que a imensidão do firmamento
Ou a. vastidão do mar que nós tememos;
Maior que força eólica do vento,
Do sol a pino a luz que recebemos,

Maior que a rapidez do pensamento
Ou o vácuo do infinito que nós vemos;
Maior que a noite triste de um lamento
Ou que as desilusões que nos sofremos;

Com nada se compara a imensidade
Da dor sofrida que do amor se arvora
Se não se tem 0 que deseja ter;

Maior que a intensidade da saudade
E a tristeza sem fim que me devora
Quando me vejo longe de você,


Bernardina Vilar
In ‘Bom dia, Saudade!’ (1995)

Nenhum comentário:

Postar um comentário