quinta-feira, 11 de setembro de 2014

PARALELAS



Pela margem esquerda eu vou seguindo
E na orla direita vais andando...
Assim, distanciados, vamos indo,
E entre nós um rio deslizando,

Se 0 crepúsculo tristonho vai caindo
Eu sozinha já estou me retirando
Mas se a aurora desponta e 0 sol vem vindo
Certamente tu vens te aproximando.

Não te encontro e nunca me acompanhas
Mas nossas almas, solfejando hinos
De esperanças modulam árias belas,

E só nos vem desilusões tamanhas!...
Tudo isto porque nossos destinos
Simplesmente são linhas paralelas.

Bernardina Vilar
In ‘Bom dia, Saudade!’ (1995)

Nenhum comentário:

Postar um comentário