sexta-feira, 5 de setembro de 2014

LÁGRIMAS PERDIDAS


Não consigo saber se alguém me ama,
Se acaso alguém merece este meu pranto;
Por mim não sei também se alguém derrama
Uma lagrima de amor que vale tanto!

 E quanto mais o meu sofrer se inflama
Mais eu sinto o sabor do desencanto;
Quanto mais choro e a dor de mim se emana.
 Mais me envolvo num doloroso encanto.

 Chorar? Nem sei por quem! Só sei que choro!
E peço a Deus e a soluçar imploro
 Que me diga se devo assim chorar...

 E as minhas pobres lágrimas perdidas
Vão rolando talvez despercebidas
Porque afinal ninguém me sabe amar!

 Bernardina Vilar
In ‘Bom dia, Saudade’ (1995)

Nenhum comentário:

Postar um comentário